Aqui está a Realidade por trás das Armas Futuristas de Call of Duty: Advanced Warfare


Call of Duty: Advanced Warfare acontece 40 anos no futuro, mas, supostamente, inclui apenas armas e equipamentos com base em pesquisas atuais.

Convidamos os desenvolvedores da Sledgehammer Games da Activision para nos fornecer mais detalhes sobre esta escolha.

O Diretor Condrey justifica “Porque a experiência seria empurranda aos limites do que é crível para as pessoas, queríamos mostrar que a pesquisa é real”, disse Michael Condrey, co-fundador e diretor de estúdio da Sledgehammer.

Dito isto, tornou-se uma regra rápida e dura pois se a equipe não pudesse se basear em protótipos, ou pelo menos nos conceitos destes para suas armas de ficção, os criadores não iriam deixá-las entrarem para o jogo.

Tac 19 Call of Duty gun screenshot

“Call of Duty: Advanced Warfare” TAC-19 em ação em um jogo multiplayer.

Uma arma de base popular do jogo é a TAC-19, de energia dirigida, conhecida pelo termo pump-action shotgun, é altamente eficaz a curta distância.

Armas de energia dirigida é uma categoria que está sendo muita pesquisada no momento.

“Sabemos hoje que eles estão usando o som comprimido, ar comprimido, e lotes de formas não-letais de energia dirigida”, disse Condrey.

“O nosso jogo se passa no ano de 2054, são 40 anos à frente de nosso tempo. Essas coisas poderão estar disponíveis muito, mas muito mais perto do que isto”, disse ele.

Call of Duty screenshot Golden Gate

YouTube: Os jogadores usam o railgun em helicópteros para colocar a baixo toda Baia de São Francisco.

A Marinha dos EUA possui atualmente uma railgun de alta velocidade que dispara projéteis a 5.000 quilômetros por hora. Essa velocidade faz projéteis da railgun serem devastadores mesmo sem os explosivos ou propulsores químicos de armas convencionais. A arma, que é elétrica, reduz os custos com munição significativamente ao mesmo tempo, atingindo um novo e poderoso tipo de destruição.

O atual modelo foi testado em terra no início deste ano e está previsto para o teste a bordo de um navio de carga em 2016.

“A tecnologia está se movendo ultra rápido hoje, então as coisas que encontramos como protótipos há três anos, são reais hoje em dia”, disse Condrey.

Algumas das tecnologias mais ousadas do jogo não são apenas encontradas em suas armas.

“Não são apenas as armas e as balas e as granadas”, disse Condrey. “A tecnologia dos veículos que vamos mostrar, como a tecnologia de hovercraft, a realidade aumentada … foi todo conduzido a partir dessa idéia que queríamos ver dentro das pesquisas atuais.”

Uma das características que estão à frente e no centro em comerciais do game é o par de mag, luvas que permitem que os jogadores possam aderir a superfícies metálicas e escalar edifícios.

“Nós estávamos em contato com um dos programas universitários locais aqui, e eles não estavam desenvolvendo uma aplicação militar, mas sim desenvolvendo esse conceito”, disse Condrey. “Eles estavam estudando lagartixas e grilos e baratas para descobrir: como é que as coisas podem escalar na vertical?”

Pesquisadores da University of Massachusetts tem explorado o caso da lagartixa (A DARPA financiou algumas destas pesquisas da equipe com adesivos sintéticos). Aplicando o que aprenderam – o lagarto consegue aderir a superfícies graças a milhões de splitting, pêlos microscópicos sob seus pés – eles fizeram um material aderente semelhante chamadado Geckskin.

Indo para o vídeo a partir dos 2:20 você não terá problemas para imaginar o potencial destas luvas Geckskin.

O fato de que a ficção do jogo ter sido baseada na realidade não é apenas uma maneira de ajudar aqueles que jogam o jogo a suspender sua descrença sobre o futuro; também deu a Sledgehammer Games um caminho narrativo para apresentar aos fãs da franquia invenções fantásticas, enquanto eles curtem o jogo.

Em uma série de vídeos “Diário de desenvolvimento” divulgado antes do lançamento, foi referenciado no jogo uma descrição da tecnologia do futuro.

“Tem que ser reconhecíveis, tem que parecer crível, mas estamos tomando-o de uma forma que faz com que seja também divertido e novo”, disse Glen Schofield, gerente geral e co-fundador da Sledgehammer Games.

Ao mesmo tempo, Call of Duty possui uma base de fãs tão leais que os desenvolvedores podem ser capazes de soltarem sua imaginação sobre qualquer coisa. Jogadores competitivos não compraram o jogo pela a história, eles fazem isso pela a ação que o shooter apresenta. Felizmente, a tecnologia futurista – faz também tudo no campo de batalha mais rápido, mais forte, e super-conectado – apenas multiplicando o apelo.

Deixe um comentário =)